sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Pinguins morrem de fome durante temporada de acasalamento



Imagem relacionada 
A temporada de acasalamento foi desastrosa para a colónia de pinguins-de-adélia, que vive no leste da Antárctida. Com a exceção de duas, todos as crias do grupo morreram de fome, dado que os seus progenitores não conseguiram arranjar comida devido a quantidade anormalmente exagerada de gelo que se verificou no final deste inverno (hemisfério sul, o final do inverso é agosto/Setembro). 

Esta foi a segunda época de acasalamento devastadora para esta colónia, em 2015, aconteceu o mesmo e não sobreviveu nenhum filhote. 

Grupos ativistas pedem medidas urgentes, como uma nova área de proteção para os animais marinhos na região. 

A World Wildlife Fund (WWF) afirma que a proibição da pesca de krill na área ajudaria a garantir a sobrevivência dos pinguins, assim como de outros animais. Esta organização apoia o trabalho de cientistas franceses na Antártica que monitorizan as colónias de pinguins desde 2010. 

A proposta de uma medida de proteção para os animais será discutida numa reunião da Comissão para a Conservação da Vida Marinha da Antártica (CCAMLR). A Comissão é composta por 25 membros e pela União Europeia.

Fonte: Anda

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Animais vão poder entrar em restaurantes



Os projectos, apesar de todos aprovados, mereceram votações distintas e tiveram, em várias bancadas, votos de deputados desalinhados da posição oficial do seu partido.
 Imagem relacionada
O projeto do PAN nasceu de uma petição remetida ao Parlamento pelo deputado único André Silva e visa alterar legislação de 2015, que não permite a entrada de animais em espaços fechados de restauração e bebidas, mesmo que o proprietário do estabelecimento o autorize. 

A iniciativa do PAN pretende passar a decisão de autorização para os proprietários dos estabelecimentos comerciais, salvaguardando que os animais não tenham acesso a áreas de maneio e confecção de alimentos.

Este diploma contou com os votos favoráveis de PS, CDS-PP, BE, PCP e PEV, além do partido proponente. Contra votaram uma deputada do CDS-PP, Ilda Araújo, e duas deputadas do PS, Maria da Luz Rosinha e Wanda Guimarães. Abstiveram-se o PSD, bem como três deputados do PS e outros quatro do CDS-PP. 

O projecto do BE, que defende a possibilidade de os estabelecimentos criarem uma área específica para acolher animais de companhia, devidamente sinalizada, teve uma votação quase idêntica: as mesmas bancadas votaram favoravelmente, o PSD absteve-se, bem como deputados do PS e do CDS-PP. Apenas teve o voto contra da deputada do CDS-PP Ilda Araújo.

Já o projecto do Partido Ecologista "Os Verdes", que salvaguarda no seu projecto aspectos como o porte e comportamento dos animais, que não pode causar transtorno para os restantes clientes do espaço, teve uma votação mais abrangente: todas as bancadas votaram a favor, registando-se o voto contra da mesma deputada do CDS-PP e três abstenções de deputados socialistas.
Os três projectos foram aprovados na generalidade baixando agora à discussão na especialidade.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Urso apanhado a relaxar num sofá



Algumas coisas que já são lixo para os humanos, são belas preciosidades para os animais. Vejam o caso deste urso sentado tranquilamente neste sofá, parece que está a prepara-se para ver uma boa série de televisão e comer umas pipocas. 

Este caso pouco comum aconteceu no Canadá, num local onde é habitual serem deixados monos para as autoridades recolherem. A cena foi vista e fotografada por Mandy Stantic, uma enfermeira que passava pelo local a caminho do trabalho.

Nesta zona do Canadá não é assim tão invulgar ver ursos negros a passear pelas ruas, mais estranho é ver um urso com um comportamento tão humano.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Como agir se o seu quatro patas se perder





O seu cão ou gato perdeu-se, ou fugiu de casa, as primeiras perguntas que lhe vem à cabeça:

Como é que isto foi acontecer?


Onde estará ele?


O que posso fazer para o encontrar?


Mesmo que seja uma pessoa extremamente cuidadosa este tipo de situação pode acontecer a qualquer um, uma pequena distração é o suficiente, o seu animal pode desatar a correr ou andar, para destino incerto, à procura de qualquer coisa que o tenha chamado atenção, ou à procura de uma fêmea com o cio. Por mais que que eles sejam inteligentes não conseguem descortinar os perigos que correm quando desatam a fugir e muitas vezes também não conseguem descobrir o caminho de volta para casa. Este tipo de situações podem tira-lhe a calma, mas não desespere há algumas medidas que pode adotar para encontrar o seu animal rapidamente:

  • Comece as buscas rapidamente, da mesma forma que faria se fosse uma pessoa, as possibilidades de sucesso serão muito maiores, sendo as primeiras 24 horas fundamentais; 
  • Faça uma busca rápida e bem atenta nas redondezas da sua casa, ou do local de desaparecimento, poderá chamar o animal pelo nome, se ele ouvir deverá reagir. Se o seu pet tiver algum brinquedo preferido que produza algum tipo de som, leve-o com você e faça que soe, como mais uma forma de atrai-lo;
    Pergunte em cafés, quiosques, aos seguranças de edifícios, varredores de rua, para eles é fácil identificar um animal perdido, faça uma descrição o mais exaustiva possível das características físicas do seu animal, ou de algo que o distinga dos outros;
  • Divulgue o desaparecimento através de cartazes, distribua-os por cafés e comércio local. Coloque fotografias actualizadas e se possível coloque também dois números de telefone para contacto. No caso de não ter fotografia, arranje uma na net bastante parecida;
  • Divulgue nas redes sociais, entre os amigos que vivam próximos, envie fotos por mensagem privada, chama mais atenção, uma vez que a net está cheia de fotos de animais desaparecidos. Por outro lado esteja atento à net, pode ser que alguém tenha encontrado e colocado uma foto com o seu pet;
  • Comunique o desaparecimento ao máximo de Clínica Veterinárias possível, mesmo as que sejam, mais distantes, os animais percorrerem grandes distâncias relativamente rápido;
  • Desloque-se ao abrigo municipal, poderá alguém ter encontrado o animal e levado para lá, ou então os serviços públicos poderão tê-lo recolhido. Faça também uma busca pelas associações protectoras dos animais, muitos dos que desaparecem são encaminhados para estas instituições.

Mesmo que estas acções não resultem, não se dê por vencido, são frequentes as notícias de cães/gatos perdidos que mais cedo ou mais tarde acabam encontrando o caminho de volta. Não deixe de procurá-lo e nem de chamá-lo. Onde quer que ele se encontre, é certo que ele perceberá o seu amor e fará todo o possível para reencontrar com você. Se necessário amplie o perímetro de procura e de distribuição de cartazes e verifique se alguém colocou algum cartaz a informar que o encontrou, esteja também atento aos anúncios das redes sociais e das Associações. Quando finalmente encontrar o seu companheiro de 4 patas, não se esqueça também de retirar os cartazes e comunicar aos amigos e outras entidades que o seu animal já apareceu.